Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LORENA NERIS ALMEIDA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENA NERIS ALMEIDA
DATA: 05/03/2020
HORA: 14:00
LOCAL: CAHL
TÍTULO:

Entre a liberdade e a prisão do trabalho: O caso dos trabalhadores por aplicativos de Salvador-Bahia


PALAVRAS-CHAVES:

Economia do Compartilhamento; Uberização do trabalho; Flexibilização e Precarização.


PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
RESUMO:

O mundo do trabalho passa por transformações sem precedentes, impulsionadas pela reestruturação produtiva do capitalismo nos idos da década de 1970. Ante o cenário de mudanças no processo produtivo pelo uso de novas tecnologias da informação e comunicação (NTICs), é necessário desenvolver estudos que entendam as novas dinâmicas das relações de trabalho e o papel do Estado na (des)regulamentação do trabalho. O presente texto discute as controvérsias acerca da Economia do Compartilhamento e seus desdobramentos através de dois fenômenos: a uberização do trabalho e a precarização social do trabalho, cujos efeitos incidem diretamente sobre a classe-que-vive-do-trabalho. Assim, verifica-se o crescimento das cadeias produtivas nas atividades ligadas ao setor terciário – comércio e transportes, devido a: 1) a expansão de um novo proletariado na era digital, decorrente do desemprego; 2) a emergência do sistema de produção flexível e da racionalidade neoliberal e 3) o crescimento do consumo numa espécie de simbiose com a esfera do trabalho, através do arranjo tecnológico que promove conexões humanas em ambiente digital e online (ABÍLIO, 2017; ANTUNES; 2018).

Desde a chegada dos aplicativos de delivery com marco de implantação em 2011 diversos questionamentos surgiram, no tocante a dicotomia entre a existência da relação de emprego e a “autonomia” dos trabalhadores subordinados as plataformas digitais – pejotização e também, como os serviços de transporte alteraram a mobilidade urbana nas grandes metrópoles. Cabe destacar, que esse trabalho novo, digital, mais parece com uma forma velha de trabalho denominada de informal, portanto, existem contradições em processo que precisam ser tratadas (ANTUNES, 2018). Para tanto, combinamos revisão de literatura com a investigação empírica, através da pesquisa de campo de natureza quanti-qualitativa para abordar essa temática e revelar elementos não ditos ou ocultados.

As considerações preliminares indicam o aprofundamento da precarização do trabalho, assim como, evidencia a concorrência selvagem entre os trabalhadores, ou seja, revela-se um elemento característico da sociedade capitalista: a exploração do trabalho alheio e o aumento do lucro para poucos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2734574 - BRUNO JOSE RODRIGUES DURAES
Externo à Instituição - LUDMILA COSTHEK ABÍLIO - UNICAMP
Interno - 1551145 - LUIS FLAVIO REIS GODINHO
Notícia cadastrada em: 27/02/2020 12:27
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2020 - UFRB - app4.srv4inst1