Notícias

Banca de DEFESA: GILCIMARA DA SILVA TAVARES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILCIMARA DA SILVA TAVARES
DATA: 19/12/2019
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DE VIDEOCONFERÊNCIA DA COTEC, UFRB
TÍTULO:

 

"RESÍDUO DE SISAL COMO FONTE DE NUTRIENTE PARA FORMULAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA MICROBIANOS E PRODUÇÃO DE BIOMOLÉCULAS DE IMPORTÂNCIA BIOTECNOLÓGICA"


PALAVRAS-CHAVES:

Resíduo agrícola. Composição nutricional. Biomassa microbiana. Inibição micelial. Compostos voláteis.


PÁGINAS: 88
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

 

Tavares, G. D. S. Resíduo de sisal como fonte de nutriente para formulação de meios de cultura microbianos e produção de biomoléculas de importância biotecnológica

 

A formulação de um meio de cultura e a produção de biomoléculas possui alto custo, e o uso de resíduos agrícolas como fonte de nutrientes é uma alternativa barata e ecologicamente segura. O objetivo deste trabalho foi avaliar o uso de resíduo líquido de sisal (RLS) como fonte de nutrientes em formulações de meios de cultura para crescimento microbiano e produção de compostos voláteis (COVs) capazes de inibir crescimento micelial e esporulação de fungos fitopatogênicos. A análise da composição do RLS mostrou que a razão carbono/Nitrogênio foi de 0,2368 µg/mL e a presença dos macronutrientes e micronutrientes indispensáveis para o crescimento microbiano como Potássio, Zinco. Escherichia coli, Staphylococcus aureus e Burkholderia sp. INN12 produziram mais biomassa quando crescidas em meios de cultura formulados com RLS e concentrações do meio de cultura LB entre 65-40% quando comparada com o meio Luria Bertani (LB). Estes resultados indicam que o RLS pode ser usado na formulação de meios de cultura microbianos. A inibição da esporulação e do crescimento micelial de Aspergillus welwitschiae, fitopatógeno do sisal, promovida pelos compostos voláteis produzidos pela Burkholderia sp. INN12 foi maior quando a bactérias foi crescida em meio de cultura contendo apenas RLS do que quando crescida em meios comercial como MEA e LB. Os COVs liberados pelo RLS e produzidos pela Burkholderia sp. INN12 quando crescida em meio de cultura tendo apenas RLS como fonte de nutrientes foram identificados através de um cromatógrafo gasoso GC-MSQP 2010 acoplado a um espectrômetro de massa. Os COVs identificados possuem aplicação pela indústria como aromatizantes em alimentos, atividade nematicida e antifúngica e apresentam alto custo de comercialização. Os resultados obtidos neste estudo mostram que o RLS pode ser usado na formulação de meios de cultura microbianos e na produção de compostos voláteis bacterianos inibidores de esporulação e crescimento micelial de Aspergillus welwitschiae. O uso do RLS com essas finalidade contribuirá para agregar valor a este resíduo agrícola e diminuir o custo de produção de COVs de interesse biotecnológico produzidos pela Burkholderia sp. INN12.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALINE SIMOES DA ROCHA BISPO - UFRB
Externo à Instituição - JORGE TEODORO DE SOUZA - UFLA
Presidente - 1646753 - PHELLIPPE ARTHUR SANTOS MARBACH
Notícia cadastrada em: 17/12/2019 11:26
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2020 - UFRB - app1.intranet.ufrb.edu.br.srv1inst1