Notícias

Banca de DEFESA: MILEIDE DOS SANTOS FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MILEIDE DOS SANTOS FERREIRA
DATA: 21/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO A NAF, EMBRAPA
TÍTULO:

"INDUÇÃO E SELEÇÃO DE VARIANTES SOMACLONAIS DA CULTIVAR PRATA-ANÃ PARA RESISTÊNCIA À MURCHA DE FUSARIUM RAÇA 1"


PALAVRAS-CHAVES:

Musa spp., Resistência genética de planta, Cultura de tecidos vegetais


PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

RESUMO FERREIRA, M. S. Indução e seleção de variantes somaclonais da cultivar Prata-Anã para resistência à murcha de Fusarium raça 1. Cruz das Almas, Bahia. 2020.

Dissertação (Mestrado em Microbiologia Agrícola). Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

A murcha de Fusarium, doença causada pelo fungo Fusarium oxysporum f. sp. cubense (Foc) é uma das mais importantes e destrutivas, que devastam plantações de bananeira em todo o mundo. No Brasil há apenas a raça 1 do patógeno, mas em outros países há também a raça 4 tropical, incluindo a Colômbia mais recentemente. As cultivares de bananeira no Brasil em especial as cultivares do subgrupo Prata, tem apresentado problemas com a raça 1, em especial nos perímetros irrigados, onde concentra-se grande parte da produção desse tipo de bananeira. Não existe controle químico eficiente para a doença, a melhor solução é o uso de variedades resistentes. Há limitações para desenvolver novos híbridos, em especial pela baixa fertilidade da bananeira e pelo baixo volume de sementes obtido em cruzamentos. Nesse sentido a indução de variação somaclonal mostra-se como uma alternativa ao melhoramento baseado em cruzamentos. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi obter genótipos de bananeira da cultivar „Prata-Anã‟ resistentes à murcha de Fusarium pela indução de variação somaclonal. Foi realizada a indução de variação somaclonal em cultivares de „Prata-Anã‟, com a utilização de reguladores vegetais. Os explantes foram submetidos ao meio de cultura MS, suplementado com reguladores vegetais. Os variantes obtidos foram plantados em caixas d'água contendo solo infestado com Foc, e avaliados quanto à resistência ao patógeno. O trabalho selecionou o variante T2R1 como resistente. A ferramenta de indução a variação somaclonal é promissora no desenvolvimento de novas variedades de bananeira resistentes a murcha de Fusarium. Os resultados são favoráveis para o possível lançamento de uma nova cultivar. Para isso, a caracterização agronômica do variante selecionado deve ser realizada.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 003.528.529-09 - EDUARDO CHUMBINHO DE ANDRADE - EMBRAPA
Presidente - 042.935.426-63 - FERNANDO HADDAD - EMBRAPA
Externo ao Programa - 1391513 - LEILANE SILVEIRA D'ÁVILA
Notícia cadastrada em: 18/02/2020 11:22
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2020 - UFRB - app3.srv3inst1