Notícias

Banca de DEFESA: IDALIA SOUZA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IDALIA SOUZA DOS SANTOS
DATA: 15/05/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência devido a pandemia do COVID-19
TÍTULO:

“Avaliação agronômica, resistência ao CABMV e parâmetros genéticos para seleção de progênies de maracujazeiro de retrocruzamento - RC3 [(P. edulis x P. cincinnata) x P. edulis]”,


PALAVRAS-CHAVES:

Melhoramento genético; Hibridação interespecífica; Qualidade de frutos; Modelos mistos; Precocidade reprodutiva; Tolerância a virose

 


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
RESUMO:

O Brasil é o principal produtor e consumidor mundial de maracujá amarelo. No entanto, a virose do endurecimento dos frutos (Cowpea aphid-borne mosaic vírus - CABMV) tem limitado a produção e vida útil da cultura em diversas regiões do país. Hibridações interespecíficas seguidas de ciclos de seleção e retrocruzamento foram realizadas visando a introgressão de alelos de resistência da espécie Passiflora cincinnata Mast. (silvestre) para P. edulis Sims. (comercial), chegando-se à terceira geração (RC3). Para o desenvolvimento de novas cultivares é crucial que na etapa de seleção a população melhorada seja avaliada fenológica, agronômica e geneticamente visando identificação de indivíduos superiores. Assim, neste trabalho: i) avaliou-se a precocidade das famílias RC3 em relação aos estádios fenológicos e ii) estimou-se os parâmetros genéticos e valores genotípicos preditos para a seleção de famílias e progênies de maracujazeiro RC3 [(P. edulis x P. cincinnata) x P. edulis] por meio da metodologia de modelos mistos REML/BLUP quanto aos caracteres dos frutos e tolerância ao CABMV. O delineamento experimental foi em blocos aumentados. Foram avaliadas 849 progênies e 22 famílias RC3 (tratamentos não comuns) e 10 acessos de P. edulis (tratamentos comuns - testemunhas). Os dados fenológicos e de produção foram analisados via estatística descritiva. A severidade do CABMV foi quantificada pelo índice de doença (ID%) de McKinney. Os parâmetros genéticos foram estimados via REML e as médias genotípicas preditas pelo BLUP. As médias fenotípicas e genotípicas foram comparadas pelo teste de Scott-Knott (p≤ 0,05). De modo geral, as famílias RC3 foram superiores às testemunhas para todos os caracteres fenológicos e agronômicos avaliados como produção e tolerância ao CABMV. A maior produção de frutos ocorreu aos 352 DAP com destaque para as famílias BC3.A, BC3.B e BC3.G. Quanto ao CABMV, foi observada ampla variação dos sintomas, com ID variando de 0,0% a 86,67%. As estimativas dos variaram de (0,55 a 0,90). A variância genética e a herdabilidade para o CABMV, no entanto, foram baixas na população. Os valores genotípicos preditos mostraram uma ampla variação para os caracteres avaliados, sendo que doze progênies se destacaram para a qualidade de frutos e produtividade com destaque para as famílias BC3.C e BC3.D, sendo que as famílias BC3.A, BC3.B e BC3.G contemplaram 43 progênies com resistência moderada ao CABMV. As famílias e progênies selecionadas serão recombinadas e avaliadas em polos de produção visando identificar as mais promissoras e uniformes agronomicamente.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 001.730.075-46 - ONILDO NUNES DE JESUS - UFRB
Interno - 1475052 - SIMONE ALVES SILVA
Externo à Instituição - WELLINGTON FERREIRA CAMPOS - UFVJM
Notícia cadastrada em: 12/05/2020 18:31
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2020 - UFRB - app1.intranet.ufrb.edu.br.srv1inst1