Notícias

Banca de DEFESA: SAVIO LUIZ PEREIRA NUNES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAVIO LUIZ PEREIRA NUNES
DATA: 30/06/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência devido a pandemia do COVID-19
TÍTULO:

ANÁLISE MOLECULAR DE GENES ENVOLVIDOS NA RESPOSTA DE DEFESA À SIGATOKA-NEGRA EM BANANEIRA  


PALAVRAS-CHAVES:

Musa spp.; Mycosphaerella fijiensis; RT-qPCR; biologia computacional   


PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
RESUMO:

 A bananeira (Musa spp.) é uma planta herbácea de origem no sudeste asiático e oeste do Pacífico, cultivada em áreas tropicais e subtropicais e amplamente adotada pela agricultura familiar. A despeito disso, há diversos entraves à bananicultura, entre os quais está a Sigatoka-negra, mancha foliar causada pelo fungo hemibiotrófico Mycosphaerella fijiensis Morelet, que compromete a capacidade fotossintética e, assim, gera enormes perdas na produtividade e qualidade de frutos. Nesse sentido, os estudos de resistência à Sigatoka-negra devem levar em consideração os mecanismos moleculares da bananeira para compreensão do modo como a cultura responde ao estresse biótico, além de subsidiar os trabalhos do Programa de Melhoramento Genético da Bananeira (PMGB), implementado pela Embrapa Mandioca e Fruticultura na cidade de Cruz das Almas, Bahia, Brasil. O objetivo deste trabalho foi avaliar a expressão gênica relativa dos genes candidatos psI, psII, irl, utp e prk, envolvidos na resposta de defesa à Sigatoka-negra nas cultivares de bananeira Calcutta-4, Krasan Saichon, Grande Naine e Akondro Mainty por meio da técnica de PCR quantitativa em tempo real (RT-qPCR), além de analisar em detalhes esses genes e proteínas por eles codificadas por meio de ferramentas de bioinformática. Em casa de vegetação, foi imposto o estresse biótico em plantas de 6 meses de idade durante cinco intervalos de coleta. Dos genes avaliados, utp e prk apresentaram baixa eficiência de qPCR, o que inviabilizou a análise da expressão gênica relativa. Os genes psII e irl sofreram regulação positiva durante interação incompatível nas cultivares Calcutta-4 e Krasan Saichon, respectivamente. Enquanto isso, em Grande Naine, houve regulação negativa precoce dos genes psI, psII e irl durante interação compatível e regulação positiva tardia do gene psII. Não houve expressão significativa de nenhum dos genes na cultivar suscetível Akondro Mainty. Quanto às análises de biologia computacional, o gene utp apresentou maior número de íntrons e éxons. De modo geral, foram detectados elementos cis envolvidos na resposta ao estresse biótico, como as-1, w box e STRE, na região promotora dos genes estudados. Ademais, foram descritas as modificações pós-traducionais bem como os motifs e famílias das proteínas analisadas contribuindo, assim, para melhor compreensão das suas funções dentro do patossistema Musa spp. x M. fijiensis. Os dados deste trabalho corroboram os estudos de fenotipagem das cultivares de bananeira acometidas pela Sigatoka-negra em campo. Assim, os resultados aqui obtidos fornecem tanto informações pertinentes às estratégias de cruzamento do PMGB, quanto sobre os genes validados de modo que esses possam ser utilizados na seleção assistida por marcadores (SAM), cisgenia e/ou CRISPR (Clustered Regularly Interspaced Short Palindromic Regions) visando a obtenção de cultivares mais tolerantes e resistentes à Sigatoka-negra. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1475052 - SIMONE ALVES SILVA
Notícia cadastrada em: 22/06/2020 17:06
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2020 - UFRB - app1.intranet.ufrb.edu.br.srv1inst1