Notícias

Banca de DEFESA: HANNA CLAUDIA FREITAS RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HANNA CLAUDIA FREITAS RODRIGUES
DATA: 29/07/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Sala 13 do Pavilhão Leite Alves
TÍTULO:

CORPO-LUGAR: A Micropolítica na Corpografia de Ricardo Alvarenga


PALAVRAS-CHAVES:

Corpo-lugar, Micropolítica, Corpografia, Subjetividade.


PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO:

Inspirados e enredados à cartografia corporal da cidade (Corpografia) de Ricardo Alvarenga, em sua ação direta denominada Jesus 3:30pm - One Year Performance na qual o artista se travestiu de Cristo todos os dias ás 3:30hs, durante um ano, e peregrinou pelas ruas da cidade de Salvador em uma ação messiânica de criação de imagens de estranhamento que fizeram nascer 365 foto-performances – fitamos o olhar sob a micropolítica dos afetos e do desejo, na fecunda porosidade do cotidiano e das resistências moleculares incursas em seu fazer. Trata-se de perscrutar vestígios teórico-filosóficos acerca da comunicabilidade provinda da alteridade entre um corpo que traceja lugar e um espaço corporado. A dimensão de um corpo-lugar enquanto modus experienciável de existência se desvela, portanto, de tramas entre os campos da Filosofia, Comunicação, Artes Visuais e do Corpo, Política, e práticas da cidade, trabalhos artísticos, errâncias urbanas e devaneios poéticos baianos da contemporaneidade. A luzes de uma postura filosófica derivática, aventuramos uma construção estética da escrita em que as imagens, citações, a disposição visual de cada elemento formam uma espécie de espelho curatorial e compõem uma poética artística na qual as foto-performances de Jesus 3:30pm se fazem carne do pensar, ou seja, invocamos a inventividade artística ao texto científico à contramão de uma produção adornada pelo distanciamento da vida, do desejo, do repertório existencial e em consonância ao legado do movimento arte-vida, cujo corpo-lugar é tributário, e para o qual a experiência, raiz intracutânea do pensar, nunca se perfaz da imparcialidade com o vivido. Neste jogo sensorial de paixões e derivas, se configuram, enfim, três tramas voltadas ao corpo enquanto auto-poieses, e possíveis caminhos por uma singularização da subjetividade; às micropolíticas errantes, aos problemas sócio-espaciais no urbano e as fissuras sensíveis a uma democratização do processo de construção de sentido do lugar vivido; e, às poéticas visuais do artista e o dissenso estético-político germinado por um Jesus-outro trans-eunte des-viado, como ínfimo feixe de luz rasgando a fenda da dominação sobre corpos e modos de existir nas cidades contemporâneas, nos territórios existenciais, nas zonas físicas e subjetivas de pertencimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1583959 - DANILLO SILVA BARATA
Externo à Instituição - LUDMILA CECILINA MARTINEZ PIMENTEL - UFBA
Interno - 1987854 - NADJA VLADI CARDOSO GUMES
Notícia cadastrada em: 08/07/2019 11:36
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2021 - UFRB - app2.intranet.ufrb.edu.br.srv2inst1