Notícias

Banca de DEFESA: LUDMILA GOMES FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUDMILA GOMES FERREIRA
DATA: 31/07/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Predio de Solos - Auditorio
TÍTULO:

Balanço hídrico em Latossolo Amarelo Distrocoeso típico com uso da técnica de FDR, em pastagem e espécies arbóreas.


PALAVRAS-CHAVES:

Evapotranspiração, umidade do solo, frequência no domínio do tempo, manejo florestal


PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Ciência do Solo
RESUMO:

Avaliar detalhadamente a dinâmica da água no solo ao longo do desenvolvimento da cultura possibilita a organização de informações essenciais para o aprimoramento de práticas agrícolas, com manejo adequado visando a melhoria da produtividade. Com uma avaliação mais precisa, é possível quantificar detalhadamente as condições hídricas em uma cultura, durante um período do seu ciclo, dimensionando os componentes da equação do balanço da água no solo. Sabendo que a variação da armazenagem de água no solo é obtida pela avaliação da umidade do solo ao longo do tempo, o uso da frequência no domínio do tempo (FDR) tem sido uma alternativa por fornecer leituras rápidas e precisas em diferentes profundidades. Visto isso, o trabalho objetivou avaliar o regime hídrico de Latossolo Amarelo Distrocoeso sob o cultivo de angico vermelho, Gonçalo Alves, umbu-cajá e fruta-pão, em comparação com pastagem de Urochloa decumbens e com uma área permanentemente mantida sem vegetação, por meio do estudo do balanço hídrico e uso da FDR. O estudo foi desenvolvido na Fazenda Experimental do CCAAB, localizada no Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, em Cruz das Almas, BA, sendo as análises físicas realizadas no Laboratório de Física do Solo e o teor de água no solo avaliado com o equipamento FDR nas profundidades de 0,10; 0,20; 0,30; 0,40; 0,60; e 1,00 m. Foi feita a calibração da sonda FDR para transformação da leitura em volts para umidade volumétrica. A regra do trapézio foi utilizada para calcular a armazenagem de água durante todo o período de estudo, estabelecendo o balanço hídrico para cada área. Foi verificado que o balanço de água no solo proporcionou a avaliação com constatação que o solo sem nenhum tipo de vegetação perde muito mais água para o ambiente, e a umbu-cajá, além de ser resistente à seca, armazena e perde pouca água; no entanto, as áreas de fruta-pão, Gonçalo Alves e angico mantiveram evapotranspiração correspondendo a características semelhantes às plantas arbóreas. Concluindo que a evapotranspiração declinou em função da redução da precipitação pluvial em todas as áreas, ou seja, ao diminuir a precipitação pluvial o déficit hídrico também diminuiu correspondentemente nas épocas avaliadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1255207 - LUCIANO DA SILVA SOUZA
Interno - 1221995 - JOSE FERNANDES DE MELO FILHO
Externo à Instituição - FELIPE GOMES FRADERICO DA SILVEIRA - FACEMP
Notícia cadastrada em: 23/07/2019 11:19
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2021 - UFRB - app2.intranet.ufrb.edu.br.srv2inst1