Notícias

Banca de DEFESA: JONAS SANTOS SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JONAS SANTOS SILVA
DATA: 15/07/2020
HORA: 08:30
LOCAL: SESSÃO VIRTUAL
TÍTULO:

CONDICIONADOR DE UMIDADE, LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO E COBERTURA DO SOLO NA RESISTÊNCIA AO DÉFICIT HÍDRICO DE Eucalyptus urograndis


PALAVRAS-CHAVES:

Hidroretentor, solos do Nordeste, clones.


PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Ciência do Solo
RESUMO:

O Brasil possui 480 milhões de hectares de florestas, incluindo biomas naturais e plantados, sendo a segunda maior área florestal do mundo. O estado da Bahia, no Nordeste do Brasil, tem se destacado como o quarto maior em área plantada, com 612,2 mil hectares, principalmente, nas regiões, do Extremo Sul, Litoral Norte, Oeste e Sudoeste. O melhoramento genético tem contribuído bastante para obtenção de clones resistentes ao déficit hídrico e com maiores produtividades. No entanto, as pesquisas ainda são escassas no que diz respeito a capacidade desses clones em resistir a períodos de estiagem, principalmente, em regiões que apresentam períodos de déficit hídrico. Dada à importância econômica do eucalipto, a busca contínua por novas tecnologias tornou-se crescente, dentre as quais, destaca-se o polímero sintético hidroretentor ou hidrogel, que atua, entre outros fatores, como condicionador de umidade do solo. Assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da aplicação do hidrogel no crescimento inicial de mudas do clone 1407 (Híbrido Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla) associado a lâminas de irrigação, em um Latossolo Amarelo distrocoeso (Capitulo I), bem r a resistência ao déficit hídrico aos clones (1407) e (1667) de eucaliptos submetidos a diferentes doses de hidrogel, associado ou não ao uso de cobertura do solo (Capitulo II). Os resultados desse estudo indicaram que: i) O uso do hidrogel é eficiente em condições em que há déficit hídrico e seu uso na dose de 3,0 g L -1 com o solo na capacidade de campo, aumenta a fitomassa das mudas de Eucalyptus urograndis; ii) A aplicação de 3,0 e 4,5 g L-1 de hidrogel sob cobertura plástica ou de 3,0 g L-1 de hidrogel sob cobertura morta elevou o tempo necessário para que os clones 1407 e 1667 de eucalipto apresentem sintomas iniciais, severos e ponto de murcha permanente, quando comparado aos tratamentos sem aplicação de hidrogel; iii) O uso da dose de 3,0 g L-1 de hidrogel sob cobertura morta proporcionou maior resistência dos clones 1407 e 1667 ao déficit hídrico quando comparado a mesma dose sob cobertura plástica; iv) Maior resposta dos parâmetros morfológicos dos clones 1407 e 1667 foram verificados quando da utilização de 3,0 e 4,5 g L -1 de hidrogel sob cobertura plástica e dose de 3,0 g L -1 de hidrogel sob cobertura morta de resíduos vegetais e; v) Entre os clones 1407 e 1667, a maior resposta a aplicação de hidrogel e cobertura do solo foi verificada para o clone 1667.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GERALDO CÉSAR DE OLIVEIRA - UFLA
Presidente - 1514031 - JULIO CESAR AZEVEDO NOBREGA
Interno - 1578117 - RAFAELA SIMAO ABRAHAO NOBREGA
Notícia cadastrada em: 14/07/2020 20:42
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação - - | Copyright © 2006-2021 - UFRB - app4.srv4inst1